“Poder ouvir, me faz sentir viva”

Natália Martins, conhecida por todos como  jogadora profissional de vôlei,  usa aparelhos auditivos da Phonak, uma marca Sonova. Por usar aparelhos auditivos desde que perdeu a audição na infância, ela consegue interagir com o mundo e conquistou um lugar na seleção brasileira. Recentemente ela se despediu do Brasil, sua nação, para iniciar uma carreira na Europa.

Uma jovem de roupa bege dança entre um grupo de bateristas de samba, com um olhar distante nos olhos. As fascinantes batidas brasileiras trouxeram um sorriso radiante aos seus lábios. Natália Martins adora samba, mas o ritmo hipnótico não seria mais do que um barulho distante sem seus aparelhos auditivos. Natália tinha quatro anos quando o médico a diagnosticou com perda auditiva de grau severo e, aos seis anos de idade, foram adaptados seus primeiros aparelhos auditivos. "Naquela época, sem poder ouvir, eu tinha a sensação de que o mundo era apenas um vazio escuro", explica ela. Apesar de tomar todos os cuidados, alguns anos depois ela perdeu um dos aparelhos e teve que esperar doze longos meses para uma substituição. Durante esse tempo, ela foi obrigada a sentar-se na primeira fileira da sala de aula, para conseguir ver a boca da professora e ler seus lábios. Seu desempenho também foi prejudicado nesse período.

Sem poder ouvir, eu tinha a sensação de que o mundo era apenas um vazio escuro.

 Natália Martins

Natália Martins Sonova

A mãe da Natália a matriculou em uma escola regular e incentivou seu talento para o esporte, para que a filha tivesse a chance de levar uma vida independente, mesmo com  a perda auditiva. Aos 11 anos de idade e já com 1,80 metro de altura, a  professora de educação física sugeriu: “Você deveria tentar voleibol!” A partir desse momento a vida da pré-adolescente “alta” mudou para sempre, e ela logo percebeu que queria seguir carreira no esporte. Ela tinha talento - mas seria capaz de dar uma cortada com sua perda auditiva? Um dia, ela reuniu coragem para postar essa pergunta no site do seu ídolo, Bernardo Rocha de Rezende, o maior treinador de vôlei do nosso país de todos os tempos: “Quero alcançar o que você conseguiu, mas tenho perda auditiva – Será que tenho uma chance?”  Um único clique e a pergunta foi enviada - e uma resposta recebida. “Você precisará de determinação, perseverança e força - você pode conseguir qualquer coisa com isso”, escreveu o experiente Bernardinho.  Natália sentiu como se estivesse andando nas nuvens. Ela se tornou a primeira jogadora profissional de vôlei do Brasil com perda auditiva e do time local passou para a Super Liga e para a seleção nacional do Brasil. Ela diz que enquanto viver,  nunca esquecerá o conselho de seu herói.

Você precisará de determinação, perseverança e força - você pode conseguir qualquer coisa com isso.

 Bernardo Rocha Rezende

Natalia Martins Sonova et Bernardo Rocha Rezende

Em quadra e no treinamento, os seus aparelhos auditivos, regularmente atualizados, a ajudam a diferenciar cada vez mais os sons. Natália tem escutado sons e tons até então desconhecidos: “Foi quase um milagre, de repente, eu pude entender as palavras das músicas que os fãs do nosso clube, Osasco, estavam cantando - antes eu só conseguia distinguir a melodia”, diz uma mulher com a emoção de uma criança. Seus colegas de equipe afirmaram brincando que ela deliberadamente desliga seus aparelhos auditivos no treino para não ouvir as críticas do treinador. Natália rebate a acusação com uma risada: "Vamos lá, faz muito tempo que eu não faço isso!"

Natália Martins Sonova

Natália ama seu trabalho, e o seu bom-humor e empatia a tornou popular entre seus colegas de equipe. Tudo parece mais fácil quando ela está por perto, pois Natália tem um talento raro de ser feliz. Ela adora o silêncio do vestiário antes do jogo, quando está em concentração e a adrenalina bombeia em suas veias até causar arrepios. O grito dos torcedores é um de seus sons favoritos. Seus aparelhos auditivos já se tornaram parte de seu corpo. Ela os coloca de manhã,  logo depois de acordar e os tira apenas quando vai para a cama. Os aparelhos auditivos Phonak Naída ™ ficam invisíveis para o mundo sob seus cabelos na altura dos ombros, mas quando ela os liga, é como se  convidasse o mundo inteiro para sua vida. Inicialmente ela não conseguia fazer chamadas telefônicas porque escutava ecos, mas as constantes evoluções tecnológicas dos aparelhos auditivos solucionaram essa dificuldade.  Sempre que ela encontra pessoas com dúvidas sobre o uso do aparelho auditivo, ela pergunta: “Por que não? Ele dá a você uma qualidade de vida muito melhor e te faz sentir vivo.”

Natália Martins Sonova

Com seu comportamento positivo e grande força de vontade, Natália ainda agradece o apoio de sua mãe - e de seu marido. Ela conheceu o gigante Peterson Henrique com quase 2 metros de altura quando tinha 20 e poucos anos e casaram-se em 2012. O empresário autônomo de 40 anos de idade sempre esteve ao seu lado, onde quer que sua carreira a levasse,  primeiro a Brasília, depois para Osasco, perto de São Paulo, e agora para a Europa. Apesar do desconforto de deixar sua família e amigos para trás, Nati, como os fãs a chamam, não perde tempo com pensamentos negativos: “Estou fortalecendo minha coragem e ansiosa com os novos desafios à frente! ” Antes de partir, ela viajou ao Rio de Janeiro com Peterson para se despedir de seus amigos e dos sons familiares de sua terra: ela está se despedindo do Brasil. Eles andam pelo movimentado bairro de artistas de Santa Teresa, onde Natália desfruta de cada barulho, desde os sons do motor dos velhos bondes até as brincadeiras divertidas do mercado, na harmonia melódica do português brasileiro. Natália ouve atentamente as ondas na praia de Copacabana e aprecia a vista do Rio na colina do Morro da Babilônia. Ela continua a caminhada e desce até onde mais de 30 bateristas de samba a aguardam. Os membros da Batucada Abençoada, que fizeram parte do Guinness Book of Records (livro dos recordes) como a maior banda de samba do mundo, prepararam uma serenata de despedida, uma surpresa para ela organizada por seu marido. Natália escuta entusiasmada enquanto o ritmo toma conta. Dançando sensualmente entre os bateristas, ela gira sem parar, mostrando à vida seu sorriso radiante.

Natália Martins Sonova